Morfologia da germinação de sementes e crescimento in vitro de Cattleya walkeriana Gardner em diferentes meios nutritivos.

Renato Fernandes Galdiano Junior, Cibele Mantovani, Elisângela Soares Gomes, Eduardo Custódio Gasparino, Fabíola Vitti Moro, Eliana Gertrudes de Macedo Lemos

Abstract


O objetivo do presente trabalho foi documentar o processo de germinação inicial e crescimento in vitro de plântulas de Cattleya walkeriana sob diferentes meios nutritivos a fim de aperfeiçoar o processo de propagação dessa espécie. Plântulas de 90 dias (0,8 ± 0,1 cm de comprimento) foram repicadas entre os meios nutritivos Vacin & Went, WPM, Knudson-C, Phytamax® e ½ MS. Após 90 dias de crescimento (180 dias depois da semeadura), as características biométricas da altura da planta, número de folhas, número de raízes, largura da maior raiz, comprimento da maior raiz e massa de matéria fresca (parte caulinar e radicial) foram avaliadas e as médias separadas pelo teste de Tukey a 5%. O embrião de Cattleya walkeriana origina, a partir do polo micropilar da semente, uma esférula que gera uma estrutura cônica clorofilada denominada protocormo após 30 dias da semeadura. Aos 60 dias, o protocormo desenvolve folíolos na parte superior e papilas absortivas na porção inferior. O meio de cultura ½ MS favoreceu o crescimento in vitro e pode ser recomendado para a produção de plantas de Cattleya walkeriana.

Keywords


germinação in vitro, protocormo, orquídea nativa

Comments on this article

View all comments


Copyright (c)