Potencial de supressão de plantas daninhas por plantas de cobertura de verão

Fabiane Pinto Lamego, Fernanda Cassiane Caratti, Marcela Reinehr, Mateus Gallon, Antônio Luis Santi, Claudir José Basso

Abstract


Dentre as medidas culturais adotadas para o manejo de plantas daninhas, a utilização de plantas de cobertura do solo, em sistema de semeadura direta, é uma prática que apresenta diversos efeitos positivos. Objetivou-se com este trabalho avaliar o potencial de supressão da emergência de plantas daninhas através do uso de plantas de cobertura de verão. O delineamento experimental foi em faixas, com unidades experimentais de 3,0 m x 4,0 m, distribuídas aleatoriamente. Os tratamentos foram constituídos por 26 espécies de cobertura de verão, sendo destas, 18 pertencentes à família Fabaceae, sete à família Poaceae e uma da família Asteraceae. As plantas daninhas de maior importância ocorrentes foram Raphanus spp. e Conyza bonariensis, ambas de suma importância nos sistemas de produção agrícola. O milho, dente-de-burro, sesbânia e  mucuna-verde como plantas de cobertura de verão, causam efeito supressor na germinação, emergência e estabelecimento de nabo infestante. O tratamento com mucuna-anã foi o que permitiu o estabelecimento da maior quantidade de plantas daninhas, dentre os estudados.

 


Keywords


composição florística, cobertura vegetal, supressão, plantas infestantes

References


Bianchi, M. A. Fleck, N.G., Agostinetto, D., Rizzardi, M.A. 2011. Interferência de Raphanus sativus na produtividade de cultivares de soja. Planta Daninha, 29:783-792.

Bueno, J.R. Sakai, R.H., Negrini, A.C., Ambrosano, E.J. Rossi, F. 2007. Caracterização química e produtividade de biomassa de quatro espécies de mucuna. Revista Brasileira de Agroecologia. 2:901-904.

Dayan, F.E. 2006. Factors modulating the levels of the allelochemical sorgoleone in Sorghum bicolor. Planta 224: 339-346.

Embrapa - Empresa Brasileira De Pesquisa Agropecuária. Centro Nacional de Pesquisa de

Solos. 2006. Sistema brasileiro de classificação de solos. Embrapa, Rio de Janeiro, Brasil. 306 p.

Formentini, E.A., Lóss, F.R., Bayerl, M.P., Lovati, R.D., Baptisti, E. 2008. Cartilha sobre adubação verde e compostagem. INCAPER, Vitória, Brasil. 27 p.

Gomes Jr., F.G., Christoffoleti, P.J. 2008. Biologia e manejo de plantas daninhas em áreas de plantio direto. Planta Daninha, 26:789-798.

Lamego, F.P., Vidal, R.A. 2008. Resistência ao glyphosate em biótipos de Conyza bonariensis e Conyza canadensis no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Planta Daninha, 24:467-471.

Lamego, F.P., Fleck, N.G., Bianchi, M.A., Schaedler, C.E. 2004. Tolerância à interferência de plantas competidoras e habilidade de supressão por genótipos de soja - II. Resposta de variáveis de produtividade. Planta Daninha, 22:491-498.

Lorenzi, H. 2006. Manual de identificação e controle de plantas daninhas: plantio direto e convencional. Instituto Plantarum, 6. Ed. Nova Odessa, Brasil. 339 p.

Macías, F. A. et al. 2003. Allelopathy as a new strategy for sustainable ecosystems development. Biological Sciences in Space, 17:18-23,

Meschede, D.K., Ferreira, A.B., Ribeiro Júnior, C.C. 2007. Avaliação de diferentes coberturas na supressão de plantas daninhas no Cerrado. Planta Daninha, 25:465 471.

Monquero, P.A., Amaral, L.R., Inácio, E.M., Brunhara, J.P., Binha, D.P., Silva, P.V., Silva, A.C. 2009. Efeito de adubos verdes na supressão de espécies de plantas daninhas. Planta Daninha, 27:85-95.

Moreno, J.A. 1961. Clima do Rio Grande do Sul. Secretaria da Agricultura, Diretoria de Terras e Colonização, Secção de Geografia,Porto Alegre, Brasil. 46 p.

Mueller-Dombois, D., Ellenberg, H.A.1974. Aims and methods of vegetation ecology.John Wiley. Nova Iorque, Estados Unidos da América. 547 p.

Oliveira, A.R., Freitas, S.P. 2008. Levantamento fitossociológico de plantas daninhas em áreas de produção de cana-de-açúcar. Planta Daninha, 26:33-46.

Paula, J.A., Vargas, L., Agostinetto, D., Nihatto, M.A. 2011. Manejo de Conyza bonariensis resistente ao herbicida glyphosate. Planta Daninha, 29:2017-227.

Rizzardi, M.A., Silva, L.F. 2006.Influênciadas coberturas vegetais antecessoras de aveia-preta e nabo-forrageiro na época decontrole de plantas daninhas em milho. Planta Daninha, 24:669-675.

Santos I.L.V.L. et al. 2012. Sorgoleone: Benzoquinona lipídica de sorgo com efeitos alelopáticos na agricultura como herbicida. Arquivos do Instituto Biológico 79:135-144.

Severino, F. J., Christoffoleti, P. J. 2001. Efeitos de quantidades de fitomassa de adubos verdes na supressão de plantas daninhas. Planta Daninha 19:223-228.

Silva, P.R.F. da, Argenta, G., Sangoi, L., Rambo, L., Strieder, M.L., Silva, A.A. da. 2006. Estratégias de manejo de coberturas de solo no inverno para cultivo do milho em sucessão no sistema semeadura direta. Ciência Rural 36:1011-1020.

Sodré Filho, J., Carmona, R., Cardoso, A.N., Carvalho, A. M. 2008. Culturas de sucessão ao milho na dinâmica populacional de plantas daninhas. Scientia Agraria 9: 7-14.

Vargas, L., Roman, E. S. 2008. Manual de Manejo e Controle de Plantas Daninhas.1. Ed. Embrapa Trigo. Passo Fundo, Brasil. 779 p.

Vidal, R.A., Trezzi, M.M. 2004. Potencial da utilização de coberturas vegetais de sorgo e milheto na supressão de plantas daninhas em condição de campo: I - plantas em desenvolvimento vegetativo. Planta Daninha, 22:217-233.

Vidal, R. A., Theisen, G. 1999. Efeito da cobertura do solo sobre a mortalidade de sementes de capim-marmelada em duas profundidades no solo. Planta Daninha 17:339-344.


Comments on this article

View all comments


Copyright (c)