Reader Comments

Dieta detox

by eleandro zeca (06-02-2018)


Embora ainda não se tenham demonstrado claramente as causas da fibromialgia, os pesquisadores estão começando a desenvolver teorias para explicar a sintomatologia observada nessa condição. Mulheres que fazem ioga todos os dias, durante 20 a 40 minutos, sentem menos dor e fadiga decorrentes da fibromialgia. Nos últimos anos, uma série de pesquisas tem demonstrado que tratamento mais eficaz para a fibromialgia é a atividade física.

psicólogo pode ajudar no tratamento da fibromialgia tanto na aderência ao tratamento médico, sempre necessário, como no trabalho junto à depressão, ansiedade e situações traumáticas que podem ter originado quadro. Perdoe=nos.. Mas ter fibromialgia sim. Estudos do sono demonstram que, conforme entram no estágio 4 do sono, as pessoas com fibromialgia ficam mais excitadas e permanecem numa forma mais leve de sono.

E é muito importante ressaltar os aspectos emocionais e psicossomáticos ligados à fibromialgia, como, por exemplo: pessoa fibromiálgica geramente tem aquela sensação de carregar mundo nas costas e não se entregar aos prazeres da vida diária; sente-se com muitas responsabilidades e geralmente sobrecarregada; atitude rígida consigo mesmo; muita culpa e solidão (mesmo que insconscientes)...



Exercício regular na Fibromialgia é seguro, e tem outros ganhos do ponto de vista da saúde. Comer é saudável para todos, mas quando se tem que conviver com a fibromialgia é que se torna mais importante ainda. doente poderá necessitar de tomar vários tipos diferentes de medicamentos para a fibromialgia, incluindo analgésicos e antidepressivos. Que queremos é tirar a fibromialgia da invisibilidade.

Vários estudos experimentais avançados, que mostram cérebro funcionando, mostram que os pacientes com fibromialgia estão sentindo dor e, além disso, que sentem mais dor do que pessoas sem fibromialgia. Há um padrão hereditário, mas não existe um gene identificado para a fibromialgia”, reconhece Projeto Fit 60D dicas Marcelo Cruz, reumatologista e coordenador da Comissão de Dor, Fibromialgia e Outras Síndromes Dolorosas de Partes Moles da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR).